top of page
where is nihon-13_edited_edited.jpg
Bonde e Chayamiti apresentam

ONDE AS ONDAS QUEBRAM

um filme de Inara Chayamiti

TEASER

Teaser
Sinopse

SINOPSE

Em busca de sua identidade fragmentada, Inara cola peças da história de sua família, marcada por duas diásporas entre lados opostos do mundo: Brasil e Japão.

Quando a documentarista Inara Chayamiti migra do Brasil para os Países Baixos, ela descobre-se estrangeira em sua própria terra natal. Começa então a buscar sua identidade fragmentada investigando a história de sua família.

Como na arte japonesa de reparar cerâmicas com ouro, ela cola peças dessa história marcada por duas diásporas entre lados opostos do mundo: Brasil e Japão. Ao usar ouro em sua cola, o  kintsugi, que é o motif do filme, valoriza a imperfeição, evoca a transitoriedade e aprecia a história de cada objeto.

 

Por considerar-se brasileiro, o pai de Inara rompeu com tradições japonesas e até mesmo casou-se com a mãe de Inara, uma uma “gaijin” (“estrangeira”) para a decepção de sua família. Sua avó é brasileira, mas se define como japonesa sem titubear. Seus tios vivem no Japão há 30 anos enquanto brasileiros. E apesar de suas primas terem nascido lá, elas são brasileiras que só conhecem o Japão. 

where is nihon-11.jpg
Screenshot 2022-03-24 at 10.20.38.png

Muitas perguntas surgem: O que significa ser vista como amarela? Como foi isso para seus bisavós e avós? Afinal, o que torna uma pessoa brasileira, japonesa ou de qualquer lugar? Nascer em um lugar ou outro? Crescer lá ou aqui? Entender sua cultura e língua? Amar um lugar? 

 

Em sua jornada por respostas, ela percebe o quanto não conhece as memórias familiares e coletivas. Descobre que sua batchan (avó), aos seis anos de idade, estava entre milhares de japoneses e descendentes que perderam tudo por serem vistos como inimigos no Brasil durante a Segunda Guerra. Porém, ao encontrar jornais e documentos antigos, ela percebe que essa hostilização, na forma de racismo e xenofobia, já ocorria muito antes da guerra e perpassava a vida cotidiana da comunidade. 

Ela começa a se perguntar: por que essa história permanece invisibilizada? Como entendê-la a partir da perspectiva de hoje e trazer à tona mais peças para o kintsugi da própria brasilidade?

Screenshot 2023-01-15 at 21.59.38.png
Estreia

ESTREIA

O filme vai estrear em 2023, no aniversário de 115 anos da imigração japonesa no Brasil, que abriga a maior comunidade japonesa fora do Japão.

A distribuição cultural e de impacto social será realizada no Brasil entre junho e julho, em museus, comunidades, espaços culturais e universidades. Após as exibições, vamos promover debates e rodas de conversa.

Apoio

APOIO

  • Bunkyo - Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social

  • Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil

  • Museu da Imigração do Estado de São Paulo

  • Museu Histórico de Londrina (acervo filmográfico de Hikoma Udihara)

  • Instituto Moreira Salles (acervo fotográfico de Haruo Ohara)

  • REN Brasil e REN Global

  • Associação Japonesa de Santos

  • Mommalaw - Müller Mazzonetto, por meio de apoio jurídico

  • Embaixada do Japão no Brasil

  • Selecionado pelo Logan Nonfiction Program 2021
     

O projeto também foi finalista em outras iniciativas internacionais: Sundance Documentary Fund 2021 e Berlinale Talents Doc Station 2022.

bunkyo-preto.png
logo - Museu Historico de Londrina.png
logo - IMS.png
MommaLaw.png
museu-preto.png
logan.png
logo embaixada.png
REN-Brasil.png
logo-MI.png
imago-machina.png
Equipe

EQUIPE

pb.jpg
Inara Chayamiti

diretora
produtora
diretora de fotografia
roteirista
montadora
produtora de impacto

Inara Chayamiti é uma documentarista nipo-brasileira residente em Portugal. Há 14 anos conta histórias de não ficção em que as pessoas são protagonistas de suas próprias narrativas. Entre seus trabalhos estão: Yzalú - Rap, Feminismo e Negritude (premiado pelo CineB Solar,  finalista da Semana Paulistana do Curta-Metragem e  selecionado por oito festivais, como In-Edit Brasil e Curta Kinoforum); Raam (Prêmio do Público no SHIFT Film Festival/Cinesud); e Volta na Quadra (Prêmio NETLABTV), que foi ainda patrocinada pela Folha de S. Paulo. Ela é fellow no Logan Nonfiction Program e foi ainda finalista no Sundance Documentary Fund e  no Berlinale Talents Doc Station. Trabalhou para várias empresas e organizações, como Greenpeace, Marie Claire, Google, tendo também produzido, filmado e dirigido as histórias brasileiras para a série documental internacional Legends Rising da Rio Games durante duas temporadas. Formada em Comunicação Social e Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina, estudou documentário na UnionDocs em Nova York e tem especialização em cinema e vídeo pela Universidade Anhembi Morumbi.

Lorena Bondarovsky.png
Lorena Bondarovsky

produtora

Lorena Bondarovsky é produtora executiva de cinema e televisão com experiência em diferentes áreas estratégicas no mercado audiovisual brasileiro. Diretora executiva da Conspiração Filmes, anteriormente liderou a área de novos negócios do Canal Curta! e foi gerente de produção artística da TV Globo. Antes disso, trabalhou muito anos na produção independente com interface com políticas públicas de regulação, mercado nacional e internacional. Entre as produções de filmes de ficção estão: Sob Pressão, Entre Irmãs, Nise da Silveira - O Coração da Loucura (Tokyo Golden Award 2016) e Bruna Surfistinha. Também produziu os documentários Pindorama - Verdadeira História dos Sete Anões (IDFA 2007), Simonal - Ninguém Sabe o Duro que Dei, Herbert de Perto (BAFICI 11), Serra Pelada, A Farra do Circo, Democracia em Preto e Branco e Barão Vermelho. Além de  séries de ficção como Um Contra Todos (FOX, EMMY 2018), Magnífica 70 (HBO) e outros programas variedades como Móv3l (MTV), Bela Cozinha (GNT), Sangue Latino - Cuba e Argentina (Canal Brasil) e Detetives do Prédio Azul (Gloob). Formada em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com curso em International Business na London Metropolitan University e uma especialização em Produção Executiva em Cinema e Televisão pela Fundação Getúlio Vargas.

j_edited.jpg
João Martinho

roteirista
estrategista de impacto

João Martinho é especialista em Monitoramento, Avaliação e Aprendizagem e Comunicação. Português, viveu por dez anos no Brasil. Tem experiências nos setores acadêmico, privado e filantrópico e atualmente é diretor de Avaliação e Aprendizagem Organizacional no Audacious Project, TED. 

 

Gerencia processos de avaliação complexos, como linha de base de sistemas e avaliações adaptativas. João tem ampla experiência na facilitação de processos participativos e no desenvolvimento de estruturas de Monitoramento, Avaliação e Aprendizagem, como Teoria de Mudança e Sistemas de Mensuração e Aprendizagem baseados em Rubricas.
 

Ele também liderou a equipe que avaliou o documentário O Começo da Vida. João é bacharel em Sociologia, tem especialização em Economia Monetária, Bancária e Financeira e é mestrando em Avaliação.

Luiza Paiva.png
Luiza de Paiva

produtora de impacto

Luiza Paiva é uma produtora criativa e produtora de impacto luso-brasileira residente no Reino Unido. Ela fez mestrado em “Media Practice for Development and Social Change” na Universidade de Sussex e formou-se em Cinema na PUC-Rio. 

Trabalhou por vários anos com o cineasta Walter Salles na VideoFilmes, premiada empresa latino-americana, como parte da equipe de produção de documentários e longas-metragens. Possui um diploma de Gestão em Inovação Social pelo Instituto Amani.

Desde 2018, faz parte do grupo Global Impact Producers organizado pela Doc Society (Reino Unido). Também fez parte do Lab de Distribuição de Impacto organizado em 2020 pela DocMontevideo.

Kiyoshi Chayamiti.jpg
Kiyoshi Chayamiti

diretor de fotografia

Kiyoshi Chayamiti começou sua carreira como fotógrafo e logo foi selecionado por um programa de talentos da EPTV de Ribeirão Preto, onde trabalhou por seis anos como repórter cinematográfico. Recebeu Menção Honrosa no 8° Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos. 

Também trabalhou na TV Clube e no departamento multimídia da Magazine Luiza antes de fundar a produtora audiovisual K&M, que foi uma das principais produtoras da região de Ribeirão Preto por mais de 15 anos. Pela sua empresa, produziu comerciais para TV, institucionais, campanhas políticas, vídeos publicitários, educativos e de treinamento. Foi ainda colaborador na GW Comunicações.

Além de diretor de fotografia, sempre foi um inventor e, por isso, criou também a marca Kicam, especializada em equipamentos de movimento de câmara, customizados para os mais diversos tipos de produções e perfis de profissionais.

bottom of page